FaceBook
Whats App(11) 96635-1646

Blog

Estará a raiva arruinando os seus relacionamentos?

"Quanto mais raiva do passado você carrega em seu coração,
menos capaz estará de amar o presente".
 Barbara de Angelis

No meu ponto de vista, se você nunca sentiu raiva, ou é um mestre elevado ou emocionalmente entorpecido!

A raiva está energeticamente muito perto da paixão, e isso pode nos motivar a fazer coisas que nunca pensamos que fosse possível. A raiva, quando apropriada e proporcional à situação, é saudável especialmente quando leva a soluções produtivas.

Dito isso, a raiva que há décadas corroe o seu sistema é como um vulcão vivo: está sempre borbulhando sob a superfície e pode explodir a qualquer momento, sem aviso prévio! E mais frequentemente do que não, ele não explode pela causa raiz original da raiva. Ele acumula o vapor dessa causa original, acumula mais pressão de eventos posteriores, e então explode o seu topo devido a alguma coisa irrelevante. E quando isso acontece como em um vulcão, pode destruir tudo que encontrar pela frente.

Na minha opinião, a raiva se torna um "problema" quando é um tema constante implícito no seu pensamento e nas suas emoções, quando parece que ela tem vida própria, quando explode com pouca ou quase nenhuma provocação, quando faz com que você faça ou diga coisas nefastas para você ou para aqueles a sua volta.

Nos relacionamentos sejam com colegas de trabalho, amigos ou com outras pessoas importantes para você, os casos de raiva podem agir como uma substância corrosiva. Em pequenas doses, provoca irritação. Em altas doses, corrói o relacionamento até que ele esteja completamente destruído.

Quando a raiva infectada e crônica é externada, muitas vezes acontece de uma maneira destrutiva ou abusiva. A pessoa no extremo oposto dessas explosões acumula ressentimento e/ou medo. Da mesma forma, a raiva não externada pode ser destrutiva. Ela cria uma tensão tipo guerra fria, incentiva os jogos de poder silenciosos e restringe a comunicação ou a corta completamente. Nunca como matéria prima para os grandes relacionamentos!

Muitas pessoas que têm "problemas de raiva" estão realmente cientes de que a sua raiva é um problema. Elas já a viram destruir seus relacionamentos, seus casamentos e suas carreiras. Elas não gostam da sensação de estarem constantemente irritadas ou da sensação de não terem nenhum controle. Elas procuram ajuda, mas para muitas delas, as típicas terapias para "controle da raiva" simplesmente não funcionam.

Vários anos atrás, eu solicitei um voluntário para demonstrar uma técnica em um dos meus workshops de PNL. Uma mulher, que chamarei de Mona, levantou a mão. Mona tinha consultado vários psicólogos nos últimos 10 anos para lidar com os seus problemas de raiva. Sua raiva volátil e quase constante lhe custara um casamento, bem como vários empregos e ela estava começando a perceber que também a sua saúde estava sendo afetada. Mas todas as terapias que ela tentou ao longo dos anos não a livraram dessa raiva e ela já tinha quase desistido até de tentar.

As várias terapias que Mona havia tentado trabalhavam com a mente consciente. Ela foi ensinada a reconhecer potenciais gatilhos de raiva, evitá-los ou lidar com a raiva que surgia usando técnicas de relaxamento e para comunicar as suas necessidades numa situação de uma forma positiva. Isso pode funcionar para algumas pessoas. Mas para Mona, como muitas pessoas com quem trabalhei, a raiva era muito forte e muito veloz para que a sua mente consciente pudesse controlá-la.

Para demonstrar outra opção, eu dei a Mona uma breve explicação do processo da Liberação Emocional da Mente. Esse processo trabalha com a mente inconsciente para revelar e revisitar a "causa raiz" da raiva. A causa raiz é como aquela lâmpada específica em uma corda de luzinhas de Natal: quando que você a desconecta, toda a sequência de luzes se apaga. Então, assim que a causa raiz da raiva de Mona fosse desligada, toda a raiva que ela tinha construída com eventos subsequentes também iriam desligar.

O objetivo do processo não era Mona nunca mais experimentar a raiva de novo. O ponto é limpar toda a raiva passada de modo que qualquer raiva que ela sentisse no futuro ficasse ligada só a essa situação futura - uma raiva pura, saudável, sem a velha bagagem em jogo.

A técnica demorou cerca de dez minutos. Quando terminou, Mona olhou para mim e disse: "Minha raiva desapareceu!" Essa declaração foi rapidamente seguida por: "Espere, isso foi muito fácil! Como faço para saber se ela realmente se foi?"

A discussão que tive com Mona depois de aplicar a técnica levou mais tempo do que o processo em si! Eu expliquei que é possível desfazer-se das velhas emoções negativas e que nós fazemos isso o tempo todo. O processo simplesmente usa a liberação natural de forma direcionada, concentrada. Três anos mais tarde, eu vi Mona de novo e ela imediatamente disse: "Eu não sei porque foi tão fácil, mas funcionou!!"

O ponto importante que eu quero enfatizar é que um "problema de raiva" tem suas raízes no inconsciente. Você pode ser capaz de lidar com a sua raiva infectada com técnicas conscientes. Mas para se livrar completamente dessa raiva, você precisa trabalhar com o inconsciente.

Como Mark Twain disse: "A raiva é um ácido que pode fazer mais mal para o recipiente em que está armazenada do que sobre qualquer coisa em que for derramada." Se a raiva crônica ou explosiva está causando danos à sua vida, saiba que existem soluções para você.

Mahalo! (palavra havaiana de agradecimento).
 

O artigo original "Is Anger Wrecking Your Relationships"

Autor(es): Marta Siqueira (13/01/2019)
Compartilhe FaceBook Twitter
FaceBook
Whats App(11) 96635-1646
http://www.setimotabelionato.com